Um Google open code

Michael

A gigante Google marcou presença novamente no fisl. Na manhã do dia primeiro, o engenheiro Michael Hanselmann, da Google Suíça, palestrou sobre a relação antiga e próspera da empresa com softwares open source. Michael trabalha no centro de administração de sistema da Google em Zurique, e tem um longo envolvimento com projetos de código aberto.

“O Open Source é compatível com a ideia da Google de dar conhecimento para todos, espalhar o conhecimento”, citou Michael como um dos motivos para o engajamento da empresa. “Ele também reduz a importância do desenvolvimento proprietário no desktop”, acrescentou.

Em um breve histórico, o engenheiro mostrou como a companhia está envolvida com o open source desde o início. Os servidores do sistema de busca, criados em 1997 como simples computadores empilhados e melhorados constantemente, já rodavam Linux. Hoje, são racks que ocupam galpões inteiros em diversos lugares do mundo. “O Google (a ferramenta de busca) roda em Linux”, resumiu.

Através deste tipo de tecnologia, de acordo com o engenheiro, a empresa não fica presa a nenhuma outra companhia privada de software. Além disso, desta forma os códigos se tornam totalmente modificáveis e adaptáveis, e os profissionais da companhia ganham tempo, já que, na maioria das vezes, já estão habituados a trabalhar com as linguagens utilizadas.

Em troca do seu uso, a Google contribui com a comunidade de Open Source com a divulgação de códigos e doações para instituições da área. “Divulgamos cerca de 200 patches por mês. Há ainda a publicação do Google web toolkit, do Chromium, do Android. Ao todo, são mais de 25 milhões de linhas de código”, destaca Michael. Há mais informações sobre projetos da Google em código aberto neste wiki.

Entre as pesquisas acadêmicas que receberam incentivo da companhia estão o Hadoop, e o MapReduce. É possível navegar pelas publicações do Google na área aqui.

Há algumas tecnologias, no entanto, das quais a empresa de Mountain Ville não abre mão. Entre elas, o PageRank (motor da ferramenta de buscas) e o sistema de filtragem de spams.

Como mostra de todo este interesse, Michael citou também o bem-sucedido programa de estágios Google Summer of Code, sobre o qual a também funcionária da Google Carol Smith palestrou no primeiro dia do fisl, sobre o qual os Googlers não possuem fins lucrativos.

Hanselmann completou: “usar código aberto tem tudo a ver com a ética da Google, e nos faz economizar muito tempo”.

*Este post faz parte das reportagens que fiz na cobertura  do 12º Fórum Software Livre. Este é o link original.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: